Portfólio | Suítes Paulistanas | Música Clássica

Compositores
História da música
Instrumentos
Dicionário
Intérpretes
Clássicos populares
Sobre
Contato

 

Home » Música clássica » Compositores


Alexander Porfirievitch Borodin nasceu em São Petersburgo, em 11 de novembro de 1833. Filho natural do príncipe Guedeano (descendente dos reis de Imeretie), a sua paternidade legal foi atribuída a um servo do príncipe, chamado Borodine, mas foi educado por sua mãe, jovem, bela e inteligente esposa de um médico militar. Proporcionaram-lhe sólidos estudos gerais e científicos e, ao mesmo tempo, aprendeu francês, alemão, inglês e italiano.

Apaixonado pela química, e já formado em medicina, aperfeiçoou a sua formação científica em Heildelberg. Na música mostrou dons precoces, mas, aprendeu-a como autodidata: considerou-se toda a vida um amador e, de fato, dedicaria mais tempo à ciência do que à música, embora a celebridade lhe advenha sobretudo desta última.

Em 1862, conheceu Balakirev, que lhe deu úteis conselhos e integrou-se no célebre Grupo dos Cinco (já conhecia Mussorgsky desde 1856). Devido à falta de tempo e, talvez, também em virtude de lacunas da sua formação musical, compôs pouco, mas todas as suas obras são perfeitas, e algumas valeram-lhe êxitos importantes. Liszt, que o encontrou em Weimar, durante uma das suas numerosas viagens à Europa Ocidental, foi um dos melhores artífices da sua reputação como músico.

Borodin trabalhou durante 18 anos na composição da primeira epopéia musical russa, O príncipe Igor, a sua obra prima (1869-1887), escrevendo, quadro após quadro, o texto e a música. Mas não pode terminar esta importante partitura de que somente alguns fragmentos foram interpretados durante a vida. Muito cansado e envelhecido pela cólera, que tinha contraído, em 1882 ou 1883, morreu subitamente, vítima de uma crise cardíaca, durante um baile de máscaras na Academia de Medicina, na noite de 27 para 28 de fevereiro de 1887.




Deixou a ópera O príncipe Igor, terminada por Rimski-Korsakov e Glazunov (São Petersburgo, 1890), 3 sinfonias (da última, apenas 2 movimentos foram terminados por Glazunov), o poema sinfônico Nos estepes da Ásia Central, 2 quartetos para cordas, um quinteto para piano, melodias, bem como várias obras científicas.


 Compositores (A-Z), Período, Países
 Cenários do Pós-Romantismo
 Compositores pós-românticos
 Compositores russos



Clássicos - albertoviana.net (2000-2013)